Windows Phone morreu?

Windows Phone morreu?

Salve salve pessoal…

O Windows Phone morreu? Ou já nasceu morto? Nesse Terminal Repórter rs, vamos entender um pouco da história desse sistema operacional da Microsoft.

Desde que a computação começou a evoluir e os apetrechos eletrônicos começaram a diminuir, as ideias de ter um dispositivo móvel com recursos de computadores foram ficando cada vez mais viáveis, ideias para computadores portáteis e handhelds foram surgindo e evoluindo, assim a Microsoft através do Windows CE, lança o Windows Mobile em 2000 para o Pocket PC 2000. A ideia era desfrutar de recursos do Windows na palma de sua mão. A plataforma foi evoluindo e foi muito popular até 2007, sendo desenvolvida até 2010, chegando até a versão 6.5.5.

Windows Mobile 6.5.5
Windows Mobile 6.5.5

Nesse período outras empresas tentavam obter um espaço nos sistemas operacionais portáteis e para telefones inteligentes (smartphones), eis que surge um carinha chamado Android, no qual nos primórdios lembrava bastante o Windows Mobile.

HTC Dream com Android
HTC Dream com Android

Mas tudo veio a mudar, tanto para a Google que comprou o Android, quanto para a Microsoft, quando a Apple em 2007, fez uma demonstração do seu inovador iPhone, mudando o conceito de como pessoas utilizariam smartphones a partir daí, isso fez com que tanto o Windows quanto o Android se parecessem sistemas antigos da década de 90, e assim sendo, parecessem ultrapassados perante a rival maçã.

Primeiro iPhone
Primeiro iPhone

Eis que surgem duas estratégias diferentes, a Google pega o que melhor tem da Apple, e começa a colocar no seu Android, assim copiando os recursos da rival, e se aproximando com as características da Apple. A Microsoft por sua vez, vai apenas atualizando o sistema como ele é. Até que em 2010, ela anuncia a integração dos seus produtos no conceito “Windows Metro”, que teriam quadrados dinâmicos nas telas dos dispositivos, tanto no Windows 8, como no Windows Mobile, que mudou de nome para Windows Phone 7.

Sistema de Tiles
Sistema de Tiles

Mas sem hardware, a Microsoft não conseguiria uma penetração no mercado, visto que o Android e o iOS já demonstravam uma grande vantagem nos consumidores, dessa forma a Microsoft procura parcerias e encontra a Nokia, que para a surpresa de muitos, “abandonaria” o seu sistema Symbian para ficar do lado da Microsoft nessa guerra mobile. Algumas empresas também fizeram aparelhos com o Windows, como a Samsung com a linha Omnia.

Nokia, parceira do Windows Phone
Nokia, parceira do Windows Phone

Tudo parecia bonito, as pessoas começaram a acreditar que a Microsoft iria de vez conseguir se aproximar da Apple e da Google, mas surgem algumas pedras no caminho… A Google gigante das buscas e de softwares como o YouTube, se negam a dar suporte ao Windows Phone na criação de aplicativos (inclusive quando a Microsoft tentou por ela mesmo criar um App do YouTube que usasse a API nativa da plataforma, a Google alegou que estava tudo errado e que a Microsoft teria que tirar o app do ar).

Para completar, outras empresas não mostraram interesse na plataforma da Microsoft, e como a maioria dos clientes estavam no iOS ou Android, eles não viam vantagem de portar o aplicativo para o Windows Phone.

App YouTube feito pela Microsoft, indisponível para Download
App YouTube feito pela Microsoft, indisponível para Download

Ai jovem, você pensa, agora a Microsoft desiste? Ainda não rs… Ela pega o seu recurso infinito (cof.. cof.. dinheiro.. cof.. cof..) e começa a fazer investimentos no setor Mobile, como a criação de um projeto que você poderia facilmente migrar um app do iOS para Windows Phone, a compra do departamento móvel e todas as patentes da Nokia (transformando os smartphones Nokia Lumia em Microsoft Lumia), o Continuum (recurso em que você teria um Dock e o Windows Phone poderia ser usado como PC normalmente com um monitor) e até mesmo indo atrás de empresas para migrar os apps para o Windows Phone.

Projeto Continuum
Projeto Continuum

No meio do caminho, a Microsoft faz algumas lambanças, como por exemplo, quem tinha o Windows Phone 7, não poderia atualizar para o Windows Phone 8. Quem tinha o Windows Phone 8 ou 8.1, para atualizar para o Windows 10 Mobile, teria que seguir um tutorial, que muitos usuários finais teriam que usar o Google ou o YouTube para encontrar, e a marca Nokia era muito forte, a mudança para Microsoft, afastou possíveis compradores, que confiavam no nome “Nokia”.

Mesmo com tudo isso, a Microsoft ainda tinha algumas coisas na manga, como a suíte Office e aplicativo de integração com Xbox.

Mas a gestão da Microsoft começa a mudar, sai Steve Ballmer, e entra Satya Nadella, o tio Satya vendo o cenário e fazendo sua análise, vê que o mercado está mudando para software como serviço, e é nisso que ele foca o investimento, começando a cortar alguns braços e pernas da divisão mobile que estavam gastando e ao mesmo tempo, investindo nos serviços da empresa, lançando apps para Android e iOS, assim sendo, ele não queria que as “pessoas tivessem dispositivos Microsoft” (visão de Steve Ballmer), ele queria que as “pessoas usassem Microsoft”.

Dessa forma começa a expansão de ideias do Satya, como a aproximação com a Linux Foundation (investimento no kernel Linux, lançamento do SQL Server para Linux, etc), foco na computação em nuvem (transformação da plataforma Azure em uma das referências do Segmento), usuários de qualquer dispositivo usando soluções Microsoft (Office, Outlook, Xbox tanto no iOS como no Android), dentre outras coisas.

Os manda chuvas da Microsoft
Os manda chuvas da Microsoft

Mas como ficaria o Windows Phone? O tio Satya, vendo que a guerra contra o Android e contra o iOS não daria resultados positivos para a Microsoft, decide cortar o investimento em novos hardwares da empresa (o fim da linha Lumia), e manter o suporte apenas a correções de bugs (o suporte do Windows Phone 8.1 já foi finalizado, o do Windows 10 Mobile vai até meados de 2019).

Apesar de não ter muitos usuários, o Windows Phone possuía alguns recursos únicos, como a organização e alta produtividade (afinal, não tinha apps para consumir memória e nem distrações rs), eu comprei um Lumia 830, e ele está comigo até hoje, gosto muito do sistema, e apesar de ser “velho” já o smartphone, ele ainda funciona muito bem, mas vou esperar ele morrer por completo para comprar outro rs…

Acontece que assim como eu, outras pessoas também gostam do Windows Phone, inclusive na Europa, em alguns países teve uma adesão maior por parte dos usuários, e algumas empresas até tentaram fazer um novo smartphone com o sistema, mas após a Microsoft soltar oficialmente que não tinha mais interesse no Windows Phone, isso fez com que os usuários pensassem seriamente em trocar de casa.

Windows Phone
Windows Phone

Daniel, isso significa que a Microsoft nunca mais vai lançar um Windows Phone? Olha jovens, até onde eu acho, creio que da forma como conhecemos não, o tio Satya já disse que quer lançar um dispositivo móvel, mas não da forma como estamos acostumados, e algumas patentes até apontam para talvez um Surface Phone, ou quem sabe o próximo passo não seja um smartphone, talvez algum gadget que gere hologramas, um mix talvez de HoloLens com alguma outra tecnologia rs…

Conceito de tela dobrável para Surface Phone
Conceito de tela dobrável para Surface Phone

Então foi isso jovens, assim como o Zune e outros gadgets, a Microsoft optou por cortar o Windows Phone, e para quem restou com um smartphone com esse sistema, é ou migrar, ou tentar esperar alguma reviravolta no mundo rs (assim como esse redator que vos escreve rs)…

Referências:
techglimpse.com
techtudo.com.br
tecnoblog.net
windowsteam.com.br

Bom pessoal, por hoje é só.
Abraços e até a próxima.

About Dan_Atilio

Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas. Autor do projeto Terminal de Informação, onde são postados tutoriais e notícias envolvendo o mundo da tecnologia.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: