Análise Teenage Mutant Ninja Turtles: Mutants in Manhattan

Análise Teenage Mutant Ninja Turtles: Mutants in Manhattan

Salve salve pessoal…

Trago até vocês hoje a análise do jogo Teenage Mutant Ninja Turtles: Mutants in Manhattan, game de Hack’n Slash desenvolvido pelo estúdio da Bayonetta.

Introdução

A história do jogo foi criada pelo autor dos quadrinhos, Tom Waltz, sendo que nela, o General Krang se associa com Destruidor e seu Clã do Pé para invadir New York, causando uma série de distrações nas Tartarugas para que elas não descubram seus planos, assim tentando destruir a cidade e causar a invasão alienígena dos Krangs.

O jogo foi desenvolvido pela Platinum Games (mesmo estúdio por trás de Bayonetta) e publicado pela Activision com licenciamento dos personagens da Nickelodeon.

Enfrentando um inimigo com o Rafa
Enfrentando um inimigo com o Rafa

Som

Com exceção da música tema, as músicas geralmente passam batidas, pois elas são bem calmas e tranquilas, mas o motivo disso é por causa do excelente efeito sonoro do game, então a música acaba ficando em segundo plano.

Trabalho em equipe
Trabalho em equipe

Os efeitos sonoros do game são muito bons, tanto a dublagem (americana) dos personagens, quanto os sons de explosões, dos inimigos, de tiros, na utilização de especiais, vozes dos chefes inimigos e até mesmo quando chegamos em um chefe toca um som de Warning.

Infelizmente o jogo não possui dublagem nem legendas em português, ou seja, o game inteiro está em inglês.

Fase do Prédio
Fase do Prédio

Gráfico

O gráfico do jogo segue uma linha mais fiel às HQs, com uns traços mais escuros e uma pegada mais dark, particularmente eu gostei bastante do visual, que é feito com Cel Shading, aquele estilo gráfico onde o ambiente é em 3 dimensões, mas tudo parece que saiu de um desenho animado.

Fase do Metrô
Fase do Metrô

Os vilões também tiveram um ótimo acabamento, enquanto eu passava as fases, me lembrei de quando eu assistia o desenho, e é uma sensação ótima de nostalgia enfrentar o Destruidor, o General Krang, Bebop, Rocksteady entre outros.

Apesar de tudo isso, achei o visual do Mestre Splinter muito ruim, ele ficou sim bem parecido com um rato, mas não conseguia sentir firmeza nele como um mestre, parecia que sempre ele estava com cara de dó.

Estilo do Jogo
Estilo do Jogo

Os efeitos gráficos também são bem feitos, como no poder de parar o tempo, ou as luzes de explosões, ou ao utilizar as armas, nesse sentido o jogo foi bem caprichado.

Controles

Os comandos do game basicamente são:
A – Pulo / Pulo Duplo / Planar (se segurar o botão)
X – Ataque fraco
Y – Ataque forte
B – Agarrar
LB – Mirar
RB – Atirar Shuriken
RT – Desviar
Analógico Esquerdo – Movimentar personagens
Analógico Esquerdo na Parede – Escalar
Analógico Direito – Movimentar câmera
Apertar Analógico Direito – Ativar visão extra (que mostra inimigos e objetivos)
Direcional – Utilizar item (como aumento de força, comer pizza para aumentar o life, etc)
LT + Botões (A, B, X ou Y) – Executar um dos ninjutsus especiais das Tartarugas
LT + Direcional – Trocar entre as 4 Tartarugas

Os ninjutsus podem ser evoluídos das Tartarugas, para aumentar a potência e/ou diminuir o tempo de espera, existem ótimos poderes, como fazer um combo com 2 Tartarugas, para o tempo, ou recarregar a vida. Existem também alguns itens que podem ser acoplados nas Tartarugas como regeneração, ou aumento de força.

Enfrentando um Boss
Enfrentando um Boss

Apesar do game possuir uma variedade de opções de comandos, de ninjutsus e de itens especiais, infelizmente na campanha principal não “precisamos” usar uma variedade deles, sempre fazendo as mesmas coisas, e isso com o tempo acaba passando um ar de monótono, inclusive com a dinâmica das fases.

As fases se resumem em fazer pequenas missões, até encher um marcador no topo da tela e você poder enfrentar o Boss da área, ainda se houvesse uma maior exploração, talvez o game não passasse aquele sensação de “entediar”.

No total são 10 fases, o Tutorial, a fase do Bebop, Rocksteady, Karai, Armaggon, Wingnut, General Krang, Mega Krang e a do Destruidor. Eu não tive muitas dificuldades, zerei o jogo no Normal, e a classificação ficou entre A e S.

Minha classificação das fases no Normal
Minha classificação das fases no Normal

Diversão

O jogo começa com uma pegada bem divertida, mas assim como citei nos controles, rapidamente ele vai ficando repetitivo e cansativo de se jogar, talvez por causa dos tipos de missões, ou pela pouca dificuldade (em poucos momentos o jogo fica realmente difícil).

Ressalto que, eu zerei o game sozinho, talvez em multiplayer, e cada um com uma tartaruga, pode ser que a diversão aumente e muito, afinal o jogo é liso e dificilmente você encontrará bugs (acho que encontrei 1 só em que uma das tartarugas não conseguiu sair de baixo de um toldo).

Estilo bem desenhado
Estilo bem desenhado

Uma coisa que irrita as vezes, é a inteligência artificial dos seus parceiros, algumas vezes realmente vão te ajudar (até de mais, a ponto de matarem todos os inimigos para você rs), já outras vezes, eles ficam enroscados ou parados, o bom que quando morre uma tartaruga, desde que as 4 não morram, é possível “ressuscitá-las” comendo pizza.

O ponto forte do jogo, a sua comédia, tudo lembra o desenho antigo, as pizzas, as piadas sem graça do Mike, o companheirismo entre eles. Tem até mesmo a April no jogo (não é jogável), só senti falta do Casey Jones.

Ah e jogar com o Leo, é sensacional, fazer os combos é muito legal, pena que você pode vencer a maioria dos inimigos apertando apenas o X.

Eu zerei o game com cerca de 5 horas.

Outras informações

Não se sabe ao certo o motivo, mas parece que a Activision rescindiu o contrato com a Nickelodeon, então as mídias digitais não podem ser compradas (tanto PSN, Xbox Live e Steam). O jogo só pode ser adquirido em mídia física.

Efeitos gráficos são bem legais
Efeitos gráficos são bem legais

Preço

Eu comprei a mídia física para Xbox One, no preço de R$ 49,90, acho que para as outras plataformas deve ser um preço equiparado.

Procurei no Zoom recentemente, e para Xbox One pode ser encontrado a partir de R$ 99,94 e para o Playstation 4 a partir de R$ 112,90.

Santa Tartaruga
Santa Tartaruga

Considerações Finais

Mutants In Manhattan é um jogo que infelizmente, no Single Player, acaba passando um ar de repetição e empolga pouco.

Ele é divertido, porém como é rápido, e em todas as fases temos pouca variedade de missões, acaba sendo um jogo monótono.

Caso você jogue no Multiplayer, pode ser que melhore a diversão. Se achar em alguma promoção como eu achei, talvez compense pela experiência.

Bom pessoal, por hoje é só.
Abraços e até a próxima.

About Dan_Atilio

Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas. Autor do projeto Terminal de Informação, onde são postados tutoriais e notícias envolvendo o mundo da tecnologia.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: