Crônicas de um ex Consultor – O dia que eu tive um workshop bizarro em uma Padaria

Os pássaros cantavam, os carros passavam, e eu ouvia coisas absurdas em uma padoca rs…


Um cliente na cidade de Marília, precisava de um atendimento esporádico, e solicitou uma agenda minha para pequenas atualizações, como por exemplo, atualizar o TSS, atualizar algumas rotinas do Protheus, etc…

Chegando lá, percebi que a agenda seria rápida, e ao invés de 8 horas, poderia acabar o trabalho em 6 horas e voltar para a casa mais cedo (era uma sexta e aquele mês já havia batido a meta de horas). Então alinhei os processos com o cliente, e ele também topou, então ativei o MV_X_TURBO no serviço rs…

Teclando de leve

Acontece, que quando chegou na hora do almoço, decidi comer em uma padaria que tinha ali perto, que ficava em uma esquina. Cheguei, o lugar tava vazio, ai já pensei, “opa, dei sorte, não vai ter fila”… Pedi dois salgados e uma coca para o rapaz que tava no balcão e me sentei para deliciar a gordice.

Hmmm Comida

Enquanto eu estava me deliciando com aquele salgado de hambúrguer com queijo, chegou um homem na padoca, e perguntou para o menino, se um tal nome estava no lugar, só que esse tal nome, era tipo um apelido daqueles do Paulinho Gogó, por exemplo.

Ow Muleque, o Chico Virilha tá aí?

Eu já estranhei, de repente, o rapaz com o jeito tímido, abre uma porta na Padoca, e grita:

Paiê, o Toninho Martelo tá aqui…

Até aí, beleza, os dois se cumprimentaram, e eu tentava me concentrar no meu salgado (naquela época não tinha 4G, então era olhar na rua e ver os carros passando, os cachorros cruzando, coisas típicas do interior rs)… Quando um dos dois começa a falar sobre Pipas… algo como “nossa, passei um cerolzinho, aparei o fulano, e blábláblá (gírias de pipa)”. Ai eu comecei a pensar “dois homens, aparentemente com mais de 30 anos, falando de pipa na hora do almoço, será que é algum código secreto ou os caras realmente tão falando de pipa?”…

Eis que o padeiro, todo cheio de farinha, começa a conversar com esse fulano, falando coisas do tipo “então, para você sair ileso de lá, é só matar assim e assim assado, ai você faz isso isso e aquilo e alegar insanidade assim e assim e assado”… Eu confesso que nessa hora, o tempo parou, eu olhei pros lados, e pensei, “bom, estou sozinho aqui, o cara supostamente está falando de mortes, será que ele quer me assustar ou eles estão falando realmente sobre isso?

Hã?

Quando olhei pra cara deles disfarçadamente, eles nem tavam olhando pra mim, então pensei, acho que realmente tão falando sério… Naquele momento, o frio já subiu pela espinha, comi o salgado que tava faltando, pra disfarçar peguei um sorvete ainda (sim, eu era gordo rs) e vazei da padoca… Pode ter sido só uma brincadeira, mas o hambúrguer tava com um gosto diferente rsrs…

Esse é um artigo da coluna, Crônicas de um ex Consultor, se você gostou, deixe um comentário que irei publicar outras histórias no futuro.

Bom pessoal, por hoje é só.

Abraços e até a próxima.

Dan_Atilio
Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas.

4 Responses

  1. Jorge Orlando disse:

    Gosto de crônicas, e essas do cotidiano de ex-consultor, são ótimas…

  2. rpa1tera disse:

    Muito bom Dan! Pode fazer mais, ctz que vc tem histooooorias pra contar!

Deixe uma resposta