Entrevista – Ricardo Cisneiro (CEO da TOTVS Bauru)

Continuando nossa série de entrevista, hoje o bate papo é com Ricardo Cisneiro, CEO da TOTVS Bauru.

Sabe jovens, quando eu entrei na TOTVS Bauru, eu via o Ricardo, o que mais me chamava a atenção era a determinação no olhar, por onde ele ia, ou até mesmo nas reuniões a presença era notável.

Lembro que a primeira vez que conversei com ele sobre algo técnico, era um problema em uma query, e outros analistas não sabiam a resposta, ele respondeu o e-Mail (na época o WhatsApp não era difundido, e tínhamos um grupo de e-Mail dos técnicos), e disse para filtrar tal condição no WHERE.

Sei que o relatório demorava muito para ser gerado, acabou que ele começou a sair com menos de 2 minutos, e eu fiquei com aquela cara de “UAU” rs… Sem mais delongas, o convidado de hoje é essa fera, Ricardo Cisneiro, CEO da TOTVS Bauru.


Daniel: Olá Ricardo, primeiramente obrigado por ter aceitado o convite, é um honra recebê-lo aqui no Terminal de Informação. Falando sobre tecnologia, como surgiu seu interesse pela área?

Ricardo: Olá Daniel, agradeço o convite para a entrevista.

Desejo à você sucesso neste projeto que como tantos outros, conduziu muito bem ao longo da sua carreira.

Bom, falando de interesse pela área, o início de tudo não começou necessariamente com uma escolha minha. Em 1985 minha família se mudou de uma cidade pequena (Itaju-SP) e viemos pra Bauru. Meu pai ouviu de um colega de trabalho, que o futuro era a informática, então, passou em uma escola de informática e me matriculou, no que para ele era pra começar pelo “básico”.  Na verdade, era um curso de linguagem de programação BASIC… (risos). Eu tinha 15 anos e aquilo mexeu muito comigo.

Percebi ali, que nunca mais me distanciaria disto e até hoje, depois de 35 anos, mesmo com outras responsabilidades, me apaixono quando vejo algumas linhas de código se transformarem em algo que desejo.

Ricardo mostrando seu primeiro computador para suas filhas (e o computador funciona até hoje)

Daniel No caso da TOTVS Bauru, como ela foi criada? E como você entrou?

Ricardo: Ainda falando da minha história que se mistura com a da TOTVS. Ao me formar no ensino médio, fui para São Paulo para estudar e trabalhar. Lá trabalhei em empresas de portes diversos, sempre desenvolvendo sistemas em diversas linguagens de programação. Uma delas foi o Clipper e esse foi o link para futuramente a Microsiga e posteriormente TOTVS.

Ao final de 1996, me casei e voltei para Bauru, para construir a minha vida aqui.

Meu caminho se cruzou com o do Wilson Xavier, meu sócio, que em no início de 1997 viu uma oportunidade de abrir uma franquia da antiga Microsiga. Ele era analista lá na Microsiga em SP e a família aqui da região.

Fui a 1º contratação do time técnico dele. O desafio para mim era enorme, pois sempre havia trabalhado com programação e a partir de então iriam existiam outros desafios, como conhecer um pouco mais das áreas da empresa, faturamento, compras, financeiro, estoque/PCP, RH, tive que combinar tudo isso, para uma entrega de valor para os nossos primeiros clientes.

Inauguração da franquia em Bauru

Daniel: Você se lembra do primeiro projeto que participou? Quais foram as principais dificuldades e desafios encontrados na época?

Ricardo: Iniciar uma empresa do zero, mesmo sendo uma franquia, já é por si só um desafio. Embora as nossas empresas da região sabiam da necessidade de se atualizarem tecnologicamente, sempre existe aquela coisa de que sistemas e informática, são custos e os ganhos não são assim tão mesuráveis, no curto prazo.

Em uma casa, existe o alicerce, que é uma peça fundamental, pois sustenta toda a casa. No caso, sistemas e suas tecnologias, são uma das partes que sustentam a operação e muitas vezes não se percebe o quanto isso é importante no todo.

Cito a Polimáquinas, nosso cliente até hoje, e case (https://polimaquinas.com.br/) como um grande desafio.  Na época, em 1999 já tinha em seus processos conceitos de MRP I e II.

Fabricavam e exportavam máquinas onde só a estrutura impressa nas impressoras matriciais, davam mais de 50 páginas de componentes. Nós fomos evoluindo juntos, com as novas tecnologias, nos produtos deles e também nos nossos, chegando hoje a ser uma referência quando se fala em indústria 4.0 aqui na nossa cidade (abaixo o vídeo relatando o case de sucesso):

Daniel: Na fase de expansão, onde a Microsiga virou TOTVS e assim adquiriu a RM e a Datasul, como foi essa mudança aqui para a TOTVS Bauru?

Ricardo: Em 2009, se iniciou a operação TOTVS aqui em Bauru, com a aquisição dos canais Datasul e RM na região.  Foi uma época de muitas mudanças e novamente grandes desafios. Eram culturas diferentes e conciliar essas culturas foi o maior destes desafios. Por um outro lado, isso trouxe a expansão da nossa empresa. Também falando de tecnologias, foram incorporadas novas, pois com a Microsiga, tínhamos uma linguagem própria, o ADVPL. Com Datasul tínhamos o Progress, que é uma poderosa plataforma, além do RM que está estruturado sob a plataforma .NET da Microsoft.

Daniel: Hoje você é CEO da TOTVS Bauru, mas como foi sua jornada até chegar a esse cargo?

Ricardo: Sempre transitei na área de serviços, que foi onde me formei e me desenvolvi. Fui analista, coordenador, depois gerente e depois diretor de serviços.  Ao longo dos anos, fui mantendo e quando possível aumentando a minha participação societária na franquia.

Ao final de 2017, eu e o Wilson chegamos a uma conclusão que se fizéssemos um “job rotation” seria saudável para a operação.  Assim o Wilson que conduziu a empresa desde a sua criação, passou a responder pela minha antiga função de diretor de serviços e eu passei a centralizar todo relacionamento institucional da empresa, além de cuidar da gestão administrativa e financeira. Somos em 3 diretorias, sendo que a outra é a de AR comercial que tem a frente o Eduardo Lima. Somos um grande time!

Daniel: Agora uma pergunta de um dos nossos internautas, o Súlivan Simões disse: “Um dos recursos interessantes vindos atualmente para o ERP Protheus é utilizar o dicionário no banco de dados, porém demandando a necessidade de um DBA para manutenção e otimização a médio e longo prazo. Como a maioria das pequenas e médias empresas não possuem alguém especializado nisso, como vocês enxergam esse cenário?”

Ricardo: Olha Daniel, sempre achei que as empresas não dão a devida atenção ao banco de dados. Todos eles desenvolveram tecnologias para melhorar o acesso ao dado e nem sempre essas tecnologias são exploradas.

Vejo muitos profissionais de TI a frente das empresas que tem o seu dia a dia focado no operacional e nas entregas e demandas mais urgentes e o banco de dados só aparece como urgência quando se passa o limite do mínimo aceitável em relação a performance.

Um sistema é uma junção de várias tecnologias e plataformas, todas devem funcionar em equilíbrio. Recomendo muito que sejam feitas as manutenções periódicas no banco e a empresa não tendo um especialista, deveriam procurar por alguém no mercado capacitado para essa tarefa.

Daniel: Se alguém quiser entrar em contato com a TOTVS Bauru, quais são os meios atuais?

Ricardo: Me lembro em uma palestra do Laércio Cosentino quando ele inaugurou a nova sede da TOTVS, disse assim: Antigamente tínhamos agendas que guardávamos números, contato, endereços. Hoje a tecnologia mudou tudo é só “googar” que você acha… (risos)… mas deixando a brincadeira, tem nossos contatos aqui : https://www.totvs.com/unidade/totvs-bauru/  e também podem nos seguir nas mídias sociais :

LinkedIn  : https://www.linkedin.com/company/totvs-bauru

Instagram: https://www.instagram.com/totvs.bauru

Facebook: https://www.facebook.com/totvsbau

Celebração do dia das crianças em 2019 na TOTVS Bauru

Daniel: Gostaria de deixar alguma mensagem para nossos leitores e para estudantes de tecnologia?

Ricardo: Temos um mar de oportunidades aqui no Brasil, estamos em um país onde faltam muitos técnicos especializados, assim, meu conselho é que estudem com afinco, tenham paixão em aprender.

O conhecimento é a chave para uma carreira de sucesso. Não esquecer também que tão importante quanto o saber, é como aplicar esse conhecimento em benefício da sociedade e do ecossistema onde está inserido.

Um dos 3 pilares da nossa cultura é “Tecnologia + conhecimento são o nosso DNA”

E pra finalizar o conselho, registro aqui uma fala do Airton Senna, sempre fui um fã dele, como piloto e como pessoa.

Ele disse que seja quem você for, esteja onde estiver, tenha sempre como meta, muita força e determinação e faça tudo com muito amor e muita fé em Deus que um dia você chega lá.

Eu assim acredito também!

Ele registrou isso aqui neste vídeo que sempre uso quando falo de carreira e vida:

Daniel: Ricardo, muito obrigado mais uma vez pela entrevista. Sucesso para você e a TOTVS Bauru, que Deus os abençoe grandemente. Se quiser deixar algum link de rede social para o pessoal te dar um follow, fique à vontade.

Ricardo: Agradeço a oportunidade Daniel. Desejo novamente muito sucesso a você e aqueles que te seguem.

Contém sempre comigo. Podem me acessar aqui: https://www.linkedin.com/in/ricardo-cisneiro-572b1617/


E você, o que achou da entrevista? Deixe nos comentários.

Bom pessoal, por hoje é só.

Abraços e até a próxima.

Dan Atilio (Daniel Atilio)
Especialista em Engenharia de Software pela FIB. Entusiasta de soluções Open Source. E blogueiro nas horas vagas.

9 Responses

  1. Guilherme Camilo disse:

    Ricardo realmente é um cara muito determinado no que faz, foi a pessoa que me deu a primeira oportunidade para conhecer o mundo TOTVS e sou muito grato por tudo que aprendi com ele. Grande abraço Ricardo.

    Parabéns mais uma vez Atilio.

  2. Ricardo Cisneiro disse:

    Obrigado pelo registro Guilherme. Passamos bons anos juntos e certamente existiu aprendizado mútuo. Agradeço pela dedicação durante o tempo que esteve conosco! Grande Abraço!

  3. Andre Medeiros disse:

    Excelente! História inspiradora, parabéns pelo trabalho!

  4. emebatista disse:

    Parabéns pela iniciativa, Atílio. O Ricardo realmente merece todo reconhecimento pelo profissional e pela pessoa que ele é!!!!

  5. Jéssica disse:

    Muito bom ouvir uma mensagem de esperança de um super profissional como este!!! Parabéns pela reportagem!!!

Deixe uma resposta