Análise – Ghost Blade HD

Análise – Ghost Blade HD

Salve salve pessoal…

Um dos meus gêneros favoritos dos games, é o Shoot’em Up, ou famoso jogo de navinha, então trago até vocês hoje a análise do jogo Ghost Blade HD.


Aperta o X

Introdução

Ghost Blade foi um jogo lançado para Dreamcast, em 2015 (sim jovens, mais de 15 anos após o lançamento do console da SEGA), por uma equipe de fãs de jogos de navinha. Então essa equipe pegou esse projeto, deu uma “recauchutada” no visual, nos efeitos sonoros, músicas, e trouxe para os consoles de última geração.

Eu sempre gostei de jogos no estilo Parodius e Darius, e quando meu irmão pegou um Dreamcast, e com ele experimentei games como Ikaruga e Mars Matrix, achei alucinante a enorme quantidade de tiros na tela e sua dificuldade (famoso Bullet Hell Intense). Quando comprei meu Xbox One, estava buscando algum game que me remetesse a essa lembrança, passei a procurar então jogos assim, e encontrei o Ghost Blade HD.

Clássico jogo de navinhas
Clássico jogo de navinhas

A história do jogo se passa a 10.000 anos atrás (não é aquela música do Raul Seixas hein rs), onde foi criado uma inteligência artificial chama Shira para proteger a população de Marte. Com o passar do tempo, Shira se corrompeu, e virou a “Shira Maligna” atacando as colônias de Marte. Marte sem ter como se defender, pediu ajuda a frota da Força de Defesa da Terra (FDT). Mas a Shira tinha um plano, ela enviou um backup seu para o sistema solar, fugindo de Marte, agora cabe a você piloto, destruir a Shira antes que ela junte forças e ataque o universo.

Dando tiros focados
Dando tiros focados

Som

As músicas do jogo são todas eletrônicas, passando aquela lembrança dos clássicos games de navinha com suas músicas remixadas dos anos 90. Quando você chega na área do chefão do, a música muda acelerando o ritmo das coisas.

Além disso, os efeitos sonoros também ficaram legais, desde os sons de tiros até o de bombas.

Enfrentando um chefe
Enfrentando um chefe

Gráfico

Apesar do jogo ter sido lançado inicialmente para o Dreamcast, essa “recauchutada” para HD para os Vídeo Games de última geração trouxe um UP incrível para o gráfico, trazendo naves, cenários e inimigos detalhados.

O jogo não é tela cheia, tanto no lado esquerdo, quanto no direito, fica uma imagem (fundo de tela) estática.

Vários inimigos e tiros na tela
Vários inimigos e tiros na tela

Controles

Os comandos são bem simples, sendo:
A – Tiro Comum
X – Tiro Focado
B – Bomba
Analógico Esquerdo – Movimentar a nave

Animação do estilo de jogo
Animação do estilo de jogo

Existem 3 naves diferentes a escolha do jogador, sendo possível jogar até 2 pessoas (somente cooperativo local, nada de modo online).

Utilizando os tiros comuns, sua nave fica mais rápida, e os tiros podem pegar espaços diferentes da tela, porém eles demoram mais para matar as naves adversárias. Já os tiros focados, deixam a nave mais lenta, mas matam os inimigos de forma bem mais rápida.

A Bomba ao ser ativada, ela danifica tantos os inimigos, quanto te defende dos tiros que estavam próximos de te atingir, sendo ótima para criar estratégias.

Outro chefe do game
Outro chefe do game

O jogo possui o clássico modo Arcade com 5 fases e nas dificuldades Fácil, Normal e Difícil. E também possui o modo Score Attack, que basicamente é de você bater recordes e pontuações (que ficam online, como um ranking).

Diversão

Eu sou suspeito para falar, como sou fã de jogos Shoot’em Up, para mim é um jogo excelente, sendo que zerei o jogo na dificuldade normal, em cooperativo com meu irmão, mas ainda não zerei no difícil rs…

As primeiras fases ainda são tranquilas, a fase 4 e a 5, ai o bicho pega jovens. Assim como antigos clássicos de navinha, o jogo é tem aquela dificuldade gostosa, e não frustrante. Ah o número de bombas, vidas e continues são limitados, então use os poderes com estratégia.

Paisagens do Sistema Solar
Paisagens do Sistema Solar

Segundo o howlongtobeat.com, campanha do jogo leva cerca de 45 minutos (o difícil é passar todas as fases rs). Porém o Fator Replay dele é altíssimo, vira e mexe quando quero jogar algo rápido, somente algumas fases, ligo ele no meu Xbox e jogo um pouco.

Outras informações

Só peguei um bug no jogo (e uma única vez), estava jogando uma vez, e ao passar a fase 2, não sei por qual motivo (talvez por quase ter dado Game Over no fim do chefe), a partir da fase 3, nenhum inimigo atirava em mim, isso mesmo, o jogo passou inteiro como se eu fosse invencível.

Coletando ouro dos inimigos
Coletando ouro dos inimigos

Preço

Na PSN, o jogo está R$ 30,90, Clique Aqui para saber mais.

Na Steam, o jogo está R$ 19,99, Clique Aqui para saber mais.

Na Xbox Live, o jogo está R$ 19,00, Clique Aqui para saber mais.

Olha o quanto de tiro na tela
Olha o quanto de tiro na tela

Considerações Finais

Talvez por eu ser fã de jogos de navinha (eu sei que eles são de nicho), eu gostei muito do Ghost Blade HD, me lembrando de antigos jogos da década de 90, porém se você não gosta de jogos Shoot’em Up, e sabe como eles são difíceis, recomendo esperar uma promoção, ou partir para outro tipo de game.

Bom pessoal, por hoje é só.
Abraços e até a próxima.

Aperta o X

About Dan_Atilio

Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas. Autor do projeto Terminal de Informação, onde são postados tutoriais e notícias envolvendo o mundo da tecnologia.

2 thoughts on “Análise – Ghost Blade HD

  1. Muito boa a matéria Daniel, continue com essa qualidade de sempre.

    “A história do jogo se passa a 10.000 anos atrás…”
    “Marte sem ter como se defender, pediu ajuda a frota da Força de Defesa da Terra (FDT).”

    Nessa época, o máximo que iam conseguir de ajuda eram boomerangs de osso.

    kkkkkkkkkkkkkkkkk

    Abraços!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: