Você conhece O Livro de Mozilla?

Você já leu algum versículo desse easter egg?

Nos anos de 1990, existiu uma guerra no mundo da computação, A Guerra dos Navegadores, uma batalha travada entre a Microsoft com Internet Explorer (IE) contra o Netscape. Essa ação ficou conhecida em todo mundo, e com o término do processo, a imagem da Microsoft estava arranhada e surgiu uma empresa querendo combater essas políticas, a Mozilla Foundation.

Tendo como objetivo criar um navegador que fosse alternativa ao IE e que fosse confiável aos usuários, surgiu o Mozilla Navigator, que depois se tornou o Firefox.

Mozilla Navigator, antes do Firefox

Desde esse momento, a Mozilla colocou um Easter Egg, sendo que ao digitar about:mozilla na URL no browser, era mostrado um versículo de um livro, chamado O Livro de Mozilla, que dessa forma, narrava por parábolas a briga entre Firefox e IE.

Outros navegadores baseados no Firefox, como IceWeasel e SeaMonkey, também possuem o famoso Easter Egg.

Print do about:mozilla no Firefox 76.0.1

Mas algo mudou com o passar do tempo, a Google lançou no mercado o Google Chrome que rapidamente desbancou o IE e o Firefox. Até aí, não parecia nada demais, e talvez o livro chegasse ao fim, já que o grande inimigo IE, estava vencido. Certo?

Errado. Antigamente o lema da Google era “Don’t be Evil”, pois conforme ela crescia, ela tinha muita informação, e não usaria para o mal. Mas conforme ela ia crescendo e precisava da privacidade dos seus usuários para vender propagandas, as políticas dela mudaram e chamaram a atenção da comunidade open source, e dessa forma a Mozilla se posicionou por uma internet mais livre, e o livro teve uma reviravolta em suas histórias.

“Guerra dos Navegadores”, com o I.E. ao fundo comendo cola

Confira abaixo os versículos catalogados pela comunidade (até Maio de 2020):

3:31

E a Besta será feita legião. Seus números serão aumentados em mil milhares de vezes. O estrondo de um milhão de teclados como uma grande tempestade cobrirá a terra, e os seguidores de Mammon tremerão.

7:15

E assim finalmente a Besta caiu e os incrédulos se alegraram. Mas nem tudo estava perdido, pois das cinzas erguia-se um grande pássaro. O pássaro olhou para os incrédulos e lançou fogo e trovão sobre eles. Pois a Besta renasceu com suas forças renovadas, e os seguidores de Mammon se encolheram de horror.

8:20

E assim o Criador olhou para a Besta renascida e viu que era boa.

11:9

Mammon dormiu. E a Besta renasceu sobre a terra e seu número cresceu em legião. E eles proclamaram os tempos e sacrificaram as colheitas ao fogo, com a astúcia de raposas. E eles construíram um novo mundo à sua própria imagem, como prometido pelas palavras sagradas, e falaram da besta com seus filhos. Mammon acordou e eis! nada mais era que um seguidor.

11:14

A Besta adotou novos trajes e estudou os caminhos do Tempo, do Espaço, da Luz e do Fluxo de energia através do Universo. De seus estudos, a Besta formou novas estruturas de metal oxidado e proclamou suas glórias. E os seguidores da Besta se alegraram, encontrando um propósito renovado nesses ensinamentos.

12:10 (primeiro easter egg catalogado)

E a Besta sairá cercada por uma nuvem de vingança. A casa dos incrédulos será arrasada e queimada na terra. Suas etiquetas piscarão até o final dos dias.

15:11

Os gêmeos de Mammon brigaram. A guerra deles mergulhou o mundo em uma nova escuridão, e a Besta abominou a escuridão. Então, começou a se mover rapidamente, e ficou mais poderoso, e saiu e se multiplicou. E os animais trouxeram fogo e luz para as trevas.


Obs.: Conforme os versículos acima, Mammon nós podemos interpretar como sendo a Microsoft, e no verso 15, os gêmeos como sendo a Apple e a Google com o monopólio dos navegadores em smartphones, e a Besta podemos interpretar como sendo a Mozilla / Firefox.

E você, já conhecia essa história? Deixe nos comentários.

Referências:

Bom pessoal, por hoje é só.

Abraços e até a próxima.

Dan Atilio (Daniel Atilio)
Especialista em Engenharia de Software pela FIB. Entusiasta de soluções Open Source. E blogueiro nas horas vagas.

1 Response

  1. Nina disse:

    Se a besta foi tão ingênua é escrava da situação ela merece um final feliz, [editado pela administração].

Deixe uma resposta