Crônicas – O dia que meu Coordenador ficou muito bravo

Olha, eu acho que nunca vi meu coordenador tão bravo como nesse dia.

Certa vez, estávamos atendendo uma empresa na cidade de Santa Cruz do Rio Pardo. Então quando íamos em mais de um analista para o cliente, geralmente combinávamos para que fossemos juntos, assim o cliente pagava apenas 1 viagem.

Então chegou um dia, em que o Rubinho (na época coordenador do projeto nesse cliente), me disse que iríamos no dia x, e que a vez de quem iria dirigir, seria do Odin.

Como comentei em uma outra crônica (O dia em que eu fui no meu primeiro projeto bomba), o Odin tinha a fama de ser o inabalável, o cara mais calmo da consultoria.

Odin, o inabalável

Nesse dia, marcamos de nos encontrar na TOTVS Bauru, 6h50 para sairmos, dar tempo de tomar um café no Graal, e chegarmos no cliente com calma, até umas 8h30 ~ 9h00 (marquem esses horários que eu falei). Tanto eu como o Rubinho, sempre fomos bem pontuais, estávamos na hora marcada já, esperando o Odin.

Como sempre tem aquele tempinho de tolerância de atraso, esperamos até umas 7h10, e nada do Odin. Então o Rubinho ligou pra ele, e ele falou algo como “cara, me atrasei, acabei de sair de casa, para não atrasar mais, será que não tem como vocês me esperarem em frente o pontilhão (entre a Nações Unidas e a Rondon)?”.

Eu e o Rubinho fomos a pé então rapidinho até o pontilhão, e chegamos lá por volta das 7h20. Lá pelas 7h40, já estávamos desistindo, voltando pra unidade e indo só nos dois, eis que chega Odin com seu carro e entramos. Então eu pensei, bom, vai dar pra chegar ainda com um pequeno atraso no cliente.

Eu e meu coordenador com portes atléticos correndo até o pontilhão

Que engano jovens, próximo ao pedágio de Piratininga, a esposa do Odin liga para ele, e pede para ele voltar com urgência, pois parece que ele tava com o cartão de crédito dela, ou algo assim. Nesse momento, ele encontra um retorno e volta para Bauru.

Nisso eu olhei pro Rubinho, ele já tava ficando vermelho, era por volta de umas 8h00. Fomos chegar no condomínio que Odin morava, por volta de umas 8h20 ~ 8h30. Eu sei que do tempo do Odin descer, falar com a esposa e voltar, a cada minuto eu olhava pro Rubinho e ele já tava esboçando olhos lasers em chama pelos olhos rs…

Coordenador explodindo

Eu sei, que fomos sair do condomínio do Odin já era umas 9h30 (sim, ele demorou pra caramba com a esposa dele). O Rubinho avisou o cliente que iriamos chegar atrasados. Próximos a Santa Cruz do Rio Pardo (a pista tava duplicando, então tava com bastante paradas e transito), ao chegar próximo ao Graal, já era 10h30 da manhã, e o Odin solta o comentário “nossa gente, se não estivéssemos atrasados dava pra tomar um cafézinho né”, galera, não sei se ele jogou verde para colher maduro rs… Mas eu fiquei com uma baita vontade de rir, e o Rubinho não expressou reação nenhuma, parece que ele não estava crendo no que ele estava vivendo rs…

Pra piorar a situação, tinha um cachorro pequeno andando no meio da Rodovia, e sinceramente jovens, ele tava muito longe, e não tinha nenhum carro por perto, dava para desviar tranquilo, nisso o Odin vai e me passa em cima do cachorro, nesse momento eu também fiquei muito mal.

Gif divertido de atropelamento para deixar o post mais leve

Acabou que fomos chegar umas 11h da manhã no cliente, o Rubinho pediu desculpas para o cliente pelo atraso, e nós raramente pegamos carona com o Odin a partir desse dia rs…

Esse é um artigo da coluna, Crônicas, se você gostou, deixe um comentário que irei publicar outras histórias no futuro.

Bom pessoal, por hoje é só.

Abraços e até a próxima.

Dan Atilio (Daniel Atilio)
Especialista em Engenharia de Software pela FIB. Entusiasta de soluções Open Source. E blogueiro nas horas vagas.

6 Responses

  1. Rafa disse:

    LF tá on!! kk
    Sdds dessa galera.
    Abração

  2. Jow disse:

    O comportamento é de um Deus ahuahuahauhau

  3. Rodolfo Palugan disse:

    F pro doguinho kk. Rapaz, se fosse meu antigo coordenador, já teria tido um ataque epiléptico kkkkkkkk

Deixe uma resposta