A Evolução dos Sistemas Operacionais Parte 2

Olá Pessoal…

Hoje, continuo a matéria de Evolução dos Sistemas Operacionais, esta parte irá focar na Terceira Geração, ou seja, o surgimento dos Sistemas Operacionais.


Pessoal, para quem não se lembra, abaixo segue o link da parte anterior, contando o início da computação desde o Ábaco, até a Geração dos Transistores.

$> Partes Anteriores:
-> A Evolução dos Sistemas Operacionais Parte 1 (Início da Computação, Primeira Geração e Segunda Geração)

No final da segunda geração, várias empresas científicas já usavam computadores, no entanto, empresas comerciais começaram a focar em uso de computadores, assim, automatizando vários processos, assim começam a fabricar vários computadores, porém, cada um tinha um sistema operacional específico, feito para aquilo, surge então, os Sistemas Operacionais.

$> Terceira Geração: Geração dos Circuitos Integrados – 1965 até 1975

Tecnologia: Circuitos Integrados

Características: Computadores mais compactos e rápidos sendo que também consumiam menos energia e o início de desenvolvimento de Sistemas Operacionais.

Aplicação: Comércio e ramo Científico

Descrição: Quando começaram a surgir computadores com transistores, empresas que viviam de comércio começaram a dar mais atenção aos computadores, que só eram usados para cálculos científicos e de engenharia, porém não existia um sistema que suprisse todas as necessidades, pois, o desenvolvimento desses computadores era feito focado em duas linhas de lançamento, um para comércio e um para cálculos (científico / engenharia), fazendo isso, o processo era mais trabalhoso.
Mas com esses problemas, desenvolveram o chamado Família de Computadores, que nada mais era, que uma série de máquinas da mesma arquitetura, comparilhando o mesmo conjunto de instruções, fazendo possível a compatibilidade e com isso, o desenvolvimento de aplicações.
Essa ideia surgiu com a IBM, com a série 360, a primeira série a usar Circuitos Integrados (vários transistores, diodos, capacitores dentre vários outros componentes eletrônicos que eram interligados), que favorecia vários cálculos ao mesmo tempo. Com isso, era possível separar as operações feitas pelo computador, assim sendo, poderia ser usado os sistemas de entrada e saída de forma paralela sem interrupções (uma grande redução de tempo).
Graças a esses conceitos, que surgiu a multiprogramação (vários programas poderiam ser alocados na memória), com isso, surgiu os sistemas de tempo compartilhado (time-sharing), onde as operações esperavam instruções para prosseguir, ou esperar (intervalos entre entrada / saída e aplicativos)

IBM 370
IBM 370

Nessa mesma época, um grupo de Cientistas começaram a desenvolver várias ferramentas importantes para a computação, dentre os cientistas os que mais se destacaram foi Ken Thompson, que criou a Linguagem B e Dennis Ritchie que a partir da Linguagem B, criou a Linguagem C, revolucionando toda computação (graças a ela, temos Java, PHP, C++, etc).

Dennis Ritchie e Ken Thompson
Dennis Ritchie e Ken Thompson

Durante a década de 1960, Thompson e Ritchie, começaram a desenvolver o sistema operacional Multics, que tinha a ideia de ser capaz de comportar centenas de usuários, mas as diferenças entre os grupos envolvidos na pesquisa, levaram o projeto Multics ao Fracasso. Porém, em 1969, Thompson começou a reescrever o sistema com pretensões não tão grandes utilizando o computador PDP-7, surge então o Unics.
O sistema foi rebatizado para Unix. Na década de 1970 (precisamente em 1973), com a ajuda de Ritchie, a linguagem empregada no sistema passa ser a Linguagem C (um dos pricipais fatores de sucesso do sistema).

PDP-7
PDP-7

Talvez, o grande fato de o Unix ter feito tanto sucesso era o conceito de ser um sistema multitarefa, capaz de executar vários processos simultaneamente e além disso, o sistema era extremamente rápido. Além de ser multiusuário (várias aplicações são executadas de modo independente e concorrente por usuários diferentes). Assim pela rede, era possível o compartilhamento não só de recursos de hardware, mas também de software e de outros componentes (como impressoras).
Tudo isso, era revolucionário para época, o que talvez tornou o Unix ser a referência que é hoje. Lembrando que no começo o Unix era gratuito, o que propulsou ainda mais seu uso.

Exemplos: IBM 360, IBM 370, PDP-7

Vale ressaltar pessoal, que grande parte dos Sistemas Operacionais hoje, derivam ou tem partes do código do Unix, por exemplo, o termo Unix-Like, são sistemas totalmente baseados em Unix, como BSD (e derivados como FreeBSD e NetBSD), como Solaris (e derivados como OpenSolaris e OpenIndiana) e as distros Linux (Fedora, Mandriva, OpenSUSE, Ubuntu, Slackware) e claro, a família da Apple (Macintosh é um sistema Unix-Like). Além do que, até no Windows há ferramentas Unix.

Sistema Operacional Unix
Sistema Operacional Unix

$> Partes Posteriores:
-> A Evolução dos Sistemas Operacionais Parte 3 (Quarta Geração e o surgimento dos sistemas operacionais para uso pessoal)
-> A Evolução dos Sistemas Operacionais Parte Final (Atualmente e evolução gráfica dos sistemas)

Bom gente, por hoje é só.
Abraços e até a próxima.

About Dan_Atilio

Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas. Autor do projeto Terminal de Informação, onde são postados tutoriais e notícias envolvendo o mundo da tecnologia.

4 opiniões sobre “A Evolução dos Sistemas Operacionais Parte 2

  • fevereiro 20, 2013 em 8:15 am
    Permalink

    gostaria tambem de ver a historia da 4 geracao dos SO

    Resposta
    • fevereiro 20, 2013 em 8:49 am
      Permalink

      Boa tarde Viriato,
      Que coincidência, estou preparando a postagem para esse fim de semana.
      Abraços.

      Resposta
  • setembro 20, 2013 em 9:40 pm
    Permalink

    Vale ressaltar pessoal, que grande parte dos Sistemas Operacionais hoje, derivam ou tem partes do código do Unix, por exemplo, o termo Unix-Like, são sistemas totalmente baseados em Unix.
    Nada disso, o Linux foi escrito do zero trabalha parecido (como/like) com o Unix mas não tem partes de código do Unix nem mesmo do Minix do qual foi originado.
    (declaração)… Linus escreveu todo o núcleo sozinho, mas que após seu lançamento, outras pessoas começaram a aperfeiçoar o núcleo… Andrew S. Tanenbaum (wikipedia historia do Linux)
    Perg:Qual a relação entre o Unix e o Linux, ou melhor, entre o Unix e Linus Torvalds?
    Resp:http://www.brasilescola.com/informatica/historia-do-linux.htm

    Resposta
    • setembro 20, 2013 em 10:59 pm
      Permalink

      Boa noite Mario,
      Ótima contribuição. Quis ressaltar no meu post, que os sistemas totalmente baseados no Unix, é tanto da arquitetura, quanto no sistema de trabalho, sendo focado tanto como multi tarefa como multi usuário, o que difere dos sistemas da época. Por isso, que apesar de sistemas Linux não virem diretamente do Unix, as ideias principais e a arquitetura do Kernel, são baseados nesses conceitos.
      E quanto as partes de código são as ferramentas abertas que podem alterar os comandos, claro que o primeiro kernel puro do Linux não tinha, mas assim como o Solaris, conforme foram evoluindo, foram sendo adicionados recursos do Unix, assim, tendo partes de código desse excelente S.O.
      Mais uma vez muito obrigado pela contribuição.
      Abração e bom fim de semana.

      Resposta

Deixe uma resposta